Principal » Notícias » Destaque »

05 janeiro 2018

Ministério do Trabalho vira balcão de negócios para abrigar filha de Roberto Jefferson, preso no Mensalão

No país onde, atualmente, há oficialmente mais de 12 milhões de desempregados, o governo Temer deu mais uma demonstração que está se lixando para a situação dos trabalhadores. Nesta quarta-feira (3), Temer nomeou para o comando do Ministério do Trabalho a deputada Cristiane Brasil (PTB), em mais uma negociação de cargos em troca de apoio.

Cristiane é filha do presidente nacional do PTB e ex-deputado Roberto Jefferson, corrupto confesso e condenado a sete anos e 14 dias de prisão no processo do Mensalão. Jefferson é também um dos principais articuladores para que a bancada de deputados vote a favor da Reforma da Previdência.

A nova ministra já mostrou fidelidade a Temer, votando pelo arquivamento das denúncias por corrupção contra o presidente, bem como a favor das medidas prejudiciais aos trabalhadores, como a lei da terceirização irrestrita, a Reforma Trabalhista e a PEC do Teto (que congelou os investimentos públicos por 20 anos).

Como deputada desde 2015, Cristiane também é autora de um projeto de lei polêmico, para não dizer, inútil. Ela tentou regulamentar a roupa das mulheres que frequentam o Congresso e o tamanho dos decotes utilizados, mas a iniciativa não vingou.

Filha de peixe…

A deputada petebista faz jus à tradição da família e também tem o nome envolvido em denúncias de corrupção.

Foi citada na delação do ex-executivo da JBS Ricardo Saud por ter recebido R$ 20 milhões para o PTB apoiar Aécio Neves nas eleições de 2014.  Delatores da Odebrecht também acusam a deputada de ter recebido R$ 200 mil como caixa dois.

Com a ida de Cristiane para o Ministério, a vaga aberta na Câmara será ocupada pelo suplente Nelson Nahin (PSD), irmão do ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho.

O novo deputado foi preso com outras 12 pessoas, em junho de 2016, numa ação da Polícia Civil e do Ministério Público sob a acusação de participar de uma rede de exploração sexual de crianças e adolescentes em Campos de Goytacazes (RJ), numa operação que ficou conhecida como as “Meninas de Guarus”. Só foi solto por um habeas corpus do STF (Supremo Tribunal Federal) e o processo segue em segredo de justiça.

Fora Temer e todos os corruptos

No apagar das luzes, Temer dá mostras de que a corrupção e o vale-tudo, marcas de seu governo, vão ser ainda mais intensificados, seja para tentar garantir o seu maior objetivo, que é aprovar a nefasta Reforma da Previdência, ou garantir seus interesses nas eleições deste ano.

”Só a mobilização dos trabalhadores pode mudar essa situação e, por isso, nós, da CSP-Conlutas, defendemos que todas as centrais sindicais precisamos organizar um calendário de mobilizações já neste início de ano, rumo a uma Greve Geral, que barre a Reforma da Previdência e ponha fora o quanto antes Temer e os corruptos do Congresso”, afirmou o integrante da Secretaria Executiva Nacional da CSP-Conlutas, Luiz Carlos Prates, o Mancha.

Fonte: CSP Conlutas
Foto: Reprodução


Comentários

Comentar

SINDUECE
Rua Tereza Cristina, 2266 – Sala 204 – Benfica
CEP 60015-141, Fortaleza/Ceará
Fone/Fax: (85) 3077 0058
E-mail: comunicacao@sinduece.org.br
Produzido e atualizado pela TEIA DIGITAL