Principal » Notícias » Mais notícias »

16 setembro 2016

Nota dos Manifestantes (Professores e Estudantes em Quixadá)

NOTA – Manifestação em Quixadá.

Ontem, estudantes e professores da FECLESC puderam ver como se faz política no interior do Ceará no comício de Ilário Marques, com presença dos vereadores da coligação e do atual governador Camilo Santana, na praça do Alto São Francisco em Quixadá. Estávamos lá reunidos, munidos de cartazes, para cobrar do governador, Camilo Santana, uma negociação sobre as pautas de greve da UECE, que já dura 4 meses. Lá vimos o quanto o investimento na educação de qualidade não faz parte do projeto de governo de nenhum daqueles senhores e senhoras que subiram ao palanque (nos parece, pela ausência de projetos dos candidatos, ser uma situação generalizada em Quixadá; nas mais variadas representações partidárias! Lamentável!), pois nenhum queria discutir os problemas da cidade, nenhum se propôs a ouvir de verdade (e não apenas performativa!) o povo que ali estava, mas se contentaram apenas em bradar vote isso ou aquilo, ou, se éramos de que cor, vermelhos ou amarelos (ridícula e empobrecedora, tal postura!), “vote assim ou assado”; “olha aqui o meu número”, e… blá-blá-blá! A política para eles parece se resumir em ganhar ou perder, em apadrinhar, em mera troca de favores (modelo oitocentista de política no Brasil!), em fazer carreira, em semear o ódio não só pelo candidato adversário, mas também pelas pessoas que votam diferente, em dividir a população e, consequentemente, enfraquecê-la, e, principalmente, em julgá-la mal informada e continuar trabalhando para que ela, assim, continue.

Antes mesmo de começarmos a mostrar os cartazes, vimos que alguns “eleitores e eleitoras” – chamo-os assim, porque esses eram seus papéis – perceberam o motivo pelo qual estávamos ali e, de imediato, muitos começaram a nos tratar como inimigos, pois estavam preocupados que a nossa manifestação contra o descaso do Camilo às escolas e universidades estaduais, prejudicasse seus interesses mais individuais e particulares e menos público. Tenho certeza que essas pessoas também desejam uma melhor educação no seu município, mas por que será que elas nos viam como inimigos?

A resposta a essa pergunta pôde ser ouvida logo mais na fala do nosso atual governador, quando este tentou colocar o povo contra o professor, ao proferir mentiras e vitupérios, omitindo dados importantes à população. O senhor omitiu o fato que não cumpriu todos os acordos feitos no início de seu mandato, podemos ainda perceber também, com certa facilidade, que o senhor mentiu ao dizer que tem conversado frequentemente com a categoria e ainda colocou a culpa da greve nos professores e professoras. Ora, senhor governador, culpar o trabalhador é o que todo patrão faz. Isso apenas mostra o quanto você quer continuar inflamando a discórdia e acentuando a hierarquia e o ódio entre patrão e empregado. Você sabe muito bem que não faz mais sentido separar patrão e empregado se quisermos uma sociedade mais igualitária. Ora, não é você quem diz que está ali pelo povo, para o povo, representando o povo. Quem representa o povo não inflama o ódio pela discórdia, não repete nem propaga as mesmas artimanhas de uma politicagem dominante. Já surgiu um novo modelo de fazer política, senhor governador, onde o mandato é compartilhado, onde o povo é corresponsável, bem como cocriador. Se o senhor não está atento a essas mudanças, nós estamos, e como educadores multiplicaremos esse novo conhecimento.

 


Comentários

Comentar

SINDUECE
Rua Tereza Cristina, 2266 – Sala 204 – Benfica
CEP 60015-141, Fortaleza/Ceará
Fone/Fax: (85) 3077 0058
E-mail: comunicacao@sinduece.org.br
Produzido e atualizado pela TEIA DIGITAL